portugal

Collection by Lurdes Pereira

30 
Pins
Leiteira

Antigas Profissões de Lisboa (8)

Leiteira Fantocheiros Músico cego tocando acordeón Vendedeiras de flores no Rossio fotos in: Arquivo Municipal de Lisboa

Antiga Rua do Príncipe, antes Travessa Camões Rua Primeiro de Dezembro

Lojas de Antanho: Rua 1.º de Dezembro

Antiga Rua do Príncipe, antes Travessa Camões Rua Primeiro de Dezembro

Faluas de Lisboa 1940

Marina Tavares Dias - Homenagem

IMAGENS DO ARQUIVO MARINA TAVARES DIAS © . «Alguns exemplos dos cerca de 40 mil documentos ainda por digitalizar.»

Artur Pastor (Alter do Chão, 1 May 1922 – Lisbon, 17 September 1999): Grape harvest for Port Wine - Douro Valley (Portugal)

Artur Pastor (Alter do Chão, 1 May 1922 – Lisbon, 17 September 1999): Grape harvest for Port Wine - Douro Valley (Portugal)

Aguadeira

Fotografo de Costumes - Augusto Bobone

Muita da informação que nos chegou até hoje sobre os usos e costumes do final do sec.XIX e inicio dos sec.XX resulta do olho atento de alguns fotógrafos dessa época. Um destes fotógrafos foi Augusto Bobone (1825-1910). Fotógrafo da Casa Real, foi aluno da Academia de Belas Artes de Lisboa, formação que lhe permitiu aliar a técnica da pintura à da arte fotográfica. Bobone terá herdado a direção do Atelier Fillon em 1881 - [Fillon morre em Agosto de 1881] -, então situado na Rua Serpa Pinto 79…

Feiras de Portugal, década de 50/60.

Artur Pastor - Feiras de Portugal, décadas de 50/60.

Feiras de Portugal, décadas de 50/60.

Costumes do Norte

Portugal em Postais Antigos

Descoberta de Portugal com biblioteca virtual / digital de bilhetes postais ilustrados antigos.

Minho : Corte do Junco

Portugal em Postais Antigos

Descoberta de Portugal com biblioteca virtual / digital de bilhetes postais ilustrados antigos.

Praça Martim Moniz, c.1940

Lisboa de Antigamente

Lisboa de Antigamente retrata a cidade, através de fotografias antigas das suas gentes, monumentos e muito, muito mais.

LISBOA DESAPARECIDA: O Amola- Tesouras das nossas ruas

O Amola- Tesouras das nossas ruas

Alguns dos pregões (anúncios ambulantes) mais repetidos ao longo de todo o século XIX são impossíveis de reproduzir graficamente. O do ferro-velho, por exemplo, que se resumia a um rangido áspero, estridente, interminável. O uivo do galego aguadeiro, servindo de mote para assustar meninos mal-portdos. Ou o silvado da gaita do amola-tesouras-e-navalhas, hoje sobrevivente quase isolado no cancioneiro das ruas. Agora quase sempre de biccicleta (embora ainda os haja de «aparelho» completo; rodas…