Fotos antigas

Collection by Ricardo Loureiro

30 
Pins
 • 
12 
Followers
Vendedores de rendas e bordados

Antigas Profissões de Lisboa (6)

Bagageiro no Aeroporto da Portela Vendedores de rendas e bordados Vendedora de figos Vendedor de Loteria da Santa Casa da Misericórdia em 1909 fotos in: Arquivo Municipal de Lisboa

Azulejo da Fábrica de Loiça de Sacavém - Fábrica de Loiça de Sacavém – Wikipédia, a enciclopédia livre

Azulejo da Fábrica de Loiça de Sacavém - Fábrica de Loiça de Sacavém – Wikipédia, a enciclopédia livre

Greve das varinas, no início do século XX (fotografia: Joshua Benoliel)

E QUE TAL UM POUCO DE HISTÓRIA CONTEMPORÂNEA?

Tive há pouco uma "ideia triste". No meio de uma pesquisa sobre curricula universitários assaltou-me a dúvida: o que é que os nossos economistas e os nossos gestores aprendem de História? Não me refiro, bem entendido, à época romana ou ao período islâmico. Nem sequer, e podiamos começar por aí, ao Tratado de Methuen. Mas à história dos séculos XIX e XX, base fundamental para percebermos o País que somos e como nos formámos, em tempos recentes. O panorama é triste. Em duas das mais conhecidas…

Vendedor ambulante de refrescos , 1903-1908. Charles Chusseau-Flaviens

Vendedor ambulante de refrescos no Largo Duque do Cadaval

O Largo Duque do Cadaval (Freguesia de Santa Justa) por não existir atribuição oficial do topónimo nem quaisquer data dc referência De acordo com a DEAT/CML [Divisão de Alvarás, Escrivania e Toponímia] em email de 18/l l/05, «trata-se de um terreno propriedade da CP. e, como tal, não é da competência da CML atribuir-lhe denominação». (in Ler história - Edições 52-53, p. 233)

| Avenida 24 de Julho, Mercado do Peixe. (1890) “Tinha 10 mil metros quadrados de área coberta e foi inaugurado em 1 de Janeiro de 1882. ” Autor: Louis Levy in AML

Antiga Lisboa

Projecto - A velha Lisboa - || Fotografias/memorias da cidade de Lisboa

Lisboa de Antigamente: Profissões de antanho: o azeiteiro

Profissões de antanho: o azeiteiro

O Azeiteiro que também vendia vinagre e petroline, com o fato cheio de manchas de óleo, transportava as grandes almotolias de folha, às duas e três, suspensas dos braços, e outras às costas. Se tinha carroça, podia trazer um maior número de unidades. Era um tipo geralmente pacato, sério no seu negócio que reclamava com um pregão banal:

Lisboa de Antigamente: Profissões de Antanho: o vendedor de perus

Profissões de Antanho: o vendedor de perus

E pelas ruas os bandos de pernaltas lá vão saltando pela lama, transidos de frio, gru-gru, apanhando o seu carolo com a cana do vendilhão, que apregoa aos quatro ventos é casal de piruns.

Lisboa de Antigamente: Profissões de Antanho: o rendeiro

Profissões de Antanho: o rendeiro

Uma outra, a dos rendeiros (espanhóis de origem) — que eram o encanto das noivas e das donas de casa — que também se dividia em duas partes. A primeira composta por vendedores de bordados, rendas, mantilhas, écharpes, sedas, etc., que eram transportadas em fardo, a dorso, e a segunda, composta por vendedores (homens ou rapazes) portugueses que apenas vendiam, uma ou duas qualidades de rendas ou fitas, que traziam estendidas em um dos braços, apregoando o preço de cada metro, acompanhando…

Um passeio (em 90 fotos) na Lisboa antiga - Ardina de Lisboa/Old Lisbon - newsspaper seller

Um passeio (em 90 fotos) na Lisboa antiga

A vista do aeroporto para os aviões, a inauguração da estátua na Praça da Figueira, os velhos tempos da fábrica da Portugália. Estes dias em Lisboa já...

Uma das figuras típicas da Lisboa de antanho era o Azeiteiro

Estão Com os Azeites!

Uma das figuras típicas da Lisboa de antanho era o Azeiteiro, que distribuía o seu produto de qualidade muitas vezes invejável e que a diabó...

Fava Rica

Fava Rica

Foi o último dos pregões lisboetas (se não considerarmos pregão a flauta de Pan dos amoladores) tendo sobrevivido nos bairros mais pobres e envelhecidos até ao início dos anos 70. Pessoalmente, vi por uma única e última vez uma velha vendedeira de fava rica, que vendia sentada à saída da estação do Cais do Sodré, já sem pregão e com duas panelas embrulhadas em jornais e cobertores, ali aos seus pés, já bem há cinquenta anos. Foto Arquivo da Câmara Municipal de Lisboa A fava rica ocupou, no…