Explora Nórdico Antigo, Caminha e outros!

Explorar tópicos relacionados

Draugr ou draug (em nórdico antigo: draugr; em norueguês, sueco e dinamarquês: draugen), também conhecido como aptrgangr (literalmente "o que caminha de novo", ou "o que caminha depois da morte") é uma criatura classificada como um morto-vivo na mitologia nórdica.[1]

Draugr ou draug (em nórdico antigo: draugr; em norueguês, sueco e dinamarquês: draugen), também conhecido como aptrgangr (literalmente "o que caminha de novo", ou "o que caminha depois da morte") é uma criatura classificada como um morto-vivo na mitologia nórdica.[1]

Behemoth, em idioma hebraico transcrito como בהמות, Bəhēmôth, Behemot, B'hemot; em Árabe بهيموث (Bahīmūth) ou بهموت (Bahamūt),[1] é o nome de uma criatura descrita na Bíblia, no Livro de Jó, 40:15-24. Sua descrição é tradicionalmente associada à de um monstro gigante, podendo ser retratado como um leão monstruoso, apesar de alguns criacionistas o identificarem como um saurópode ou um touro gigante de três chifres. Em uma outra análise vemos este como um animal pré-histórico muito conhecido…

Behemoth, em idioma hebraico transcrito como בהמות, Bəhēmôth, Behemot, B'hemot; em Árabe بهيموث (Bahīmūth) ou بهموت (Bahamūt),[1] é o nome de uma criatura descrita na Bíblia, no Livro de Jó, 40:15-24. Sua descrição é tradicionalmente associada à de um monstro gigante, podendo ser retratado como um leão monstruoso, apesar de alguns criacionistas o identificarem como um saurópode ou um touro gigante de três chifres. Em uma outra análise vemos este como um animal pré-histórico muito conhecido…

Ola amigos trago para vocês um Bestiário com os principais monstros, espíritos, demônios, anjos e outros seres da mitologia humana espero qu...

Em algumas descrições, o basilisco é uma serpente fantástica. Plínio, o Velho, o descreve como uma serpente com uma coroa dourada e, no macho, uma pluma vermelha ou negra. Durante a Idade Média era representado como tendo uma cabeça de galo ou, mais raramente, de homem. Para a heráldica, o basilisco é visto como um animal semelhante a um dragão com cabeça de galo; em outras descrições, porém, a criatura é descrita como um lagarto gigante (às vezes com muitas patas), mas a sua forma mais…

Em algumas descrições, o basilisco é uma serpente fantástica. Plínio, o Velho, o descreve como uma serpente com uma coroa dourada e, no macho, uma pluma vermelha ou negra. Durante a Idade Média era representado como tendo uma cabeça de galo ou, mais raramente, de homem. Para a heráldica, o basilisco é visto como um animal semelhante a um dragão com cabeça de galo; em outras descrições, porém, a criatura é descrita como um lagarto gigante (às vezes com muitas patas), mas a sua forma mais…

Spriggans são criaturas lendárias conhecidas do folclore de West Penwith em Cornwall. Spriggans são descritos como grotescos e feios,podem ser encontradas em ruínas antigas onde guardam tesouros enterrados e geralmente agem como fadas guardiãs. Eles também são considerados ladrões natos. Embora geralmente pequenas,tem a capacidade de aumentar de tamanho (às vezes eram tidos como fantasmas dos antigos gigantes).

Spriggans são criaturas lendárias conhecidas do folclore de West Penwith em Cornwall. Spriggans são descritos como grotescos e feios,podem ser encontradas em ruínas antigas onde guardam tesouros enterrados e geralmente agem como fadas guardiãs. Eles também são considerados ladrões natos. Embora geralmente pequenas,tem a capacidade de aumentar de tamanho (às vezes eram tidos como fantasmas dos antigos gigantes).

CORAL (i know.. i know.. past.. but i couldn't resist!) - Sea Coral Print from Vintage by the Shore.

CORAL (i know.. i know.. past.. but i couldn't resist!) - Sea Coral Print from Vintage by the Shore.

Barghest, Bargtjest, Bo-guest, Bargheist, Bargeist, Barguist, Bargest ou Barguest é o nome empregado no Norte da Inglaterra (especialmente em Yorkshire), para descrever um monstruoso e sobrenatural cão negro com enormes dentes e garras.[1] Em outros casos, entretanto, o termo pode referir a um fantasma ou duende doméstico - como ocorre na região de Northumberland e Durham.

Barghest, Bargtjest, Bo-guest, Bargheist, Bargeist, Barguist, Bargest ou Barguest é o nome empregado no Norte da Inglaterra (especialmente em Yorkshire), para descrever um monstruoso e sobrenatural cão negro com enormes dentes e garras.[1] Em outros casos, entretanto, o termo pode referir a um fantasma ou duende doméstico - como ocorre na região de Northumberland e Durham.

hipogrifo é uma criatura lendária, supostamente o fruto da união de um grifo e um égua. O poema Orlando Furioso (1516) de Ludovico Ariosto contém uma descrição da criatura (canto IV):

hipogrifo é uma criatura lendária, supostamente o fruto da união de um grifo e um égua. O poema Orlando Furioso (1516) de Ludovico Ariosto contém uma descrição da criatura (canto IV):

A Hidra de Lerna (em grego antigo: Ὕδρα), na mitologia grega, era um monstro, filho de Tifão e Equidna,[1] que habitava um pântano junto ao lago de Lerna, na Argólida, hoje o que equivaleria à costa leste da região do Peloponeso.[2] A Hidra tinha corpo de dragão[2] e 3 cabeças de serpente[1][2] (quando uma delas cortadas crescia 2 no lugar da cortada) [carece de fontes] cujo hálito era venenoso[3] e que podiam se regenerar.

A Hidra de Lerna (em grego antigo: Ὕδρα), na mitologia grega, era um monstro, filho de Tifão e Equidna,[1] que habitava um pântano junto ao lago de Lerna, na Argólida, hoje o que equivaleria à costa leste da região do Peloponeso.[2] A Hidra tinha corpo de dragão[2] e 3 cabeças de serpente[1][2] (quando uma delas cortadas crescia 2 no lugar da cortada) [carece de fontes] cujo hálito era venenoso[3] e que podiam se regenerar.

O kapre (relacionado à Agta no dialeto visaiano) é uma criatura mítica filipina que poderia ser caracterizada como um demônio-árvore, mas com mais características humanas. É descrito como sendo um homem cabeludo, pardo, alto (7 a 9 pés), com uma barba. Kapres são descritos normalmente como fumando um grande cachimbo de tabaco, cujo cheiro forte atrairia a atenção humana. O termo kapre vem do árabe "kaffir", significando um não-crente no Islã. Os árabes primitivos e os mouros o usavam para se…

O kapre (relacionado à Agta no dialeto visaiano) é uma criatura mítica filipina que poderia ser caracterizada como um demônio-árvore, mas com mais características humanas. É descrito como sendo um homem cabeludo, pardo, alto (7 a 9 pés), com uma barba. Kapres são descritos normalmente como fumando um grande cachimbo de tabaco, cujo cheiro forte atrairia a atenção humana. O termo kapre vem do árabe "kaffir", significando um não-crente no Islã. Os árabes primitivos e os mouros o usavam para se…

Pinterest
Pesquisar