Ring Joid

Ring Joid is the imaginary friend or pen driver of someone who thinks he can write any sheet.
41 Pins79 Seguidores
SANDOCÃ Já não falta muito e não há mais nada a fazer. Creio que me vou embora. O que aconteceu já foi. Teve o seu termo. Agora é tudo vão. Infiltrações. Degraus perdidos. Ruídos de fundo. Uma mordaça. Na cidade que já nada me diz e que vou abandonar. Antes que se faça tarde.

Alguém já te falou que você estava com a cabeça nas nuvens? E no avião, tomada pelo tédio de um longo vôo, já ficou observando toda aquela imensidão que parece algodão doce e tentando achar sentido e significado para suas formas? O artista Berndnaut...

MULHERES TÃÃÃO VIOLENTAS Ainda queres a cama? Já vem a caminho. Fui eu que a fiz. Espera tenho uma nova surpresa. Estava só à espera de uma oportunidade para dizer. Deixas-me falar? Ou não é preciso? Posso fazer tudo por gestos. É mais giro. E grito, também. Sem falar. Posso? É tudo assim, sem fôlego.

Ainda queres a cama? Já vem a caminho. Fui eu que a fiz. Espera tenho uma nova surpresa. Estava só à espera de uma oportunidade para dizer. Deixas-me falar? Ou não é preciso? Posso fazer tudo por …

A ILIMITADA FÉ DO INCRÉDULO O mecanismo do Esconderijo foi estudado com profundidade e perde-se no tempo. É uma obra prima sem marca nem cicatriz. Quem vem carrega um processo de retiro e de reserva. Elimina o seu próprio rasto. Cria um álibi. Quem sabe da existência deste lugar segue apenas um impulso, um acordo de frequência. É isso que os traz. É isso que os leva.

O mecanismo do Esconderijo foi estudado com profundidade e perde-se a toda a ocasião. No espaço. No tempo. Não se sabe ao certo. É uma obra prima sem traço ou cunho visível. Quem vem carrega o abis…

EUFURIBUNDO Lá ao fundo, a trezentos metros, um trânsito intenso a aguardar no semáforo. Autocarros de dois andares e de três. E em quatro segundos a avançarem para o precipício do vulto que tinha deixado no meio da avenida. Que não via nem olhava. Porque não tinha por onde ver nem olhar. E por isso não era visto. Mas mirava de soslaio na minha direcção. A troçar de mim.

Lá ao fundo, a trezentos metros, um trânsito intenso a aguardar no semáforo. Autocarros de dois andares e de três. E em quatro segundos a avançarem para o precipício do vulto que tinha deixado no m…

NA ESQUINA COMO O HARVEY KEITEL Um ensaio para um pequeno mistério. Um exercício de gasto e de proveito. Não se sabe se é uma “coisa”. Real ou não. Uma pessoa ou um animal. Se existe de verdade para além dos panfletos. Vive da caixa e não do conteúdo. O que se sabe é que tem esse nome, “Olímpicos”, é assim que é conhecido.

Um ensaio para um pequeno mistério. Um exercício de gasto e de proveito. Não se sabe se é uma “coisa”. Real ou não. Uma pessoa ou um animal. Se existe de verdade para além dos panfletos. Vive da ca…

LÍNGUA PORTUGUESA De Lourmarin a Paris são 700 quilómetros e Albert Camus comprou um bilhete de comboio de Avignon para a capital. Mas o seu editor insiste para que vá com ele de automóvel, na sua coqueluche fabricada em França com um motor americano V8 de 360 cavalos. Com o escritor, a mulher e a filha de Gallimard. Pelo caminho várias paragens em restaurantes com estrelas Michelin. Mas essa não é a história. O que aqui se trata é de um choque frontal entre duas línguas.

LÍNGUA PORTUGUESA De Lourmarin a Paris são 700 quilómetros e Albert Camus comprou um bilhete de comboio de Avignon para a capital. Mas o seu editor insiste para que vá com ele de automóvel, na sua coqueluche fabricada em França com um motor americano V8 de 360 cavalos. Com o escritor, a mulher e a filha de Gallimard. Pelo caminho várias paragens em restaurantes com estrelas Michelin. Mas essa não é a história. O que aqui se trata é de um choque frontal entre duas línguas.

DECLARAÇÃO Sou maior de idade e faço declarações. É certo que nasci a trinta e cinco de Abril, em parte incerta, e tenho um estado civil duvidoso, mas já tenho condição para dizer o que penso. Profissão? Alguma, ando de um lado para o outro, faço o que me pedem e às vezes o que não me pedem. Tenho carta de condução e livre e espontânea vontade. Mais alguma coisa?

Sou maior de idade e faço declarações. É certo que nasci a trinta e cinco de Abril, em parte incerta, e tenho um estado civil duvidoso, mas já tenho condição para dizer o que penso. Profissão? Algu…

E ALI ESTAVA ELA Estava feliz porque finalmente tinha chegado a hora de ir embora. De vez. Era assim, o fim de toda aquela história. Sem mais palavras, as linhas estavam esgotadas para este capítulo. Era na verdade “O Fim”. Adeus!

Não, não ia olhar para trás. Não queria saber de mais nada. Nem conseguia ouvir o que quer que fosse. E naquela altura só a sintonizei por engano. Estava prestes a sair fora do seu alcance. Da sua …

SOCIEDADE PROTECTORA Chegam de todo o lado do país, vêm em trânsito para outro lugar que não conhecem nem conseguem encontrar, por isso vêm em protesto. Querem mais. Gritam, vociferam e saltam. Andam à porrada. E eu, que por engano me cruzei com eles na mesma frase, levo com a autoridade em cima. Com cassetetes e brigadas de trânsito. Porque também lhes dou algum trabalho à vista. E daí até começar a correr foi um ápice.

Chegam de todo o lado do país, vêm em trânsito para outro lugar que não conhecem nem conseguem encontrar, por isso vêm em protesto. Querem mais. Gritam, vociferam e saltam. Andam à porrada. E eu, q…

SALMÕES SATÂNICOS II Depois de tanto tempo presa num livro, uma mão cheia de gente solitária da Bíblia dirige-se para um quarto, onde o seu mestre está prestes a deixar a vida. Todos têm o seu feitio. O nervoso Caim, sempre remoendo a sua inquietude. Paulo com o seu BI falso depois de uma longa travessia pelo deserto. Judas, o mais próximo. Moisés com a sua única e desconhecida paranóia…

Depois de tanto tempo presa num livro, uma mão cheia de gente solitária da Bíblia dirige-se para um quarto, onde o seu mestre está prestes a deixar a vida. Todos têm o seu feitio. O nervoso Caim, s…

Pinterest
Pesquisar