Jokinhas Pinheiro

10 followers
·
9 following
Jokinhas Pinheiro
More ideas from Jokinhas
Recanto do colecionador / Loft Renault, por MF+ARQUITETOS. Inspirado em um colecionador de histórias de viagens, eles apostaram em uma arquitetura integrada à natureza e utilização de mobiliário brasileiro, obras de arte e fotografias que somam a proposta de traduzir o conforto da chegada do viajante e a ousadia das paisagens visitadas em cada viagem.

Recanto do colecionador / Loft Renault, por MF+ARQUITETOS. Inspirado em um colecionador de histórias de viagens, eles apostaram em uma arquitetura integrada à natureza e utilização de mobiliário brasileiro, obras de arte e fotografias que somam a proposta de traduzir o conforto da chegada do viajante e a ousadia das paisagens visitadas em cada viagem.

“Sou prático e passo pouco tempo em casa. Só fazia questão de uma cozinha bem equipada”, diz. Quando recebe amigos para jantar (no máximo três por vez), os reúne na mesa que também serve de divisória com a sala. Mas nem todos os ambientes são integrados: o quarto ficou isolado, como o morador queria – e ganhou até criado-mudo.

“Sou prático e passo pouco tempo em casa. Só fazia questão de uma cozinha bem equipada”, diz. Quando recebe amigos para jantar (no máximo três por vez), os reúne na mesa que também serve de divisória com a sala. Mas nem todos os ambientes são integrados: o quarto ficou isolado, como o morador queria – e ganhou até criado-mudo.

O living integra vários espaços como lounging, jantar, cantinho de leitura e sala de estar. Mudanças de nível no chão ajudam a definir as diferentes áreas e também auxiliam no alinhamento da casa com o terreno irregular.

O living integra vários espaços como lounging, jantar, cantinho de leitura e sala de estar. Mudanças de nível no chão ajudam a definir as diferentes áreas e também auxiliam no alinhamento da casa com o terreno irregular.

Por ser um imóvel para locação, a arquiteta optou por usar tons neutros com toques de cor em alguns detalhes, como o tapete azul do living. A parede central da TV ganhou o acabamento de cimento queimado (Suvinil). No centro, Ana usou duas peças redondas de tons diferentes para dar movimento.

Por ser um imóvel para locação, a arquiteta optou por usar tons neutros com toques de cor em alguns detalhes, como o tapete azul do living. A parede central da TV ganhou o acabamento de cimento queimado (Suvinil). No centro, Ana usou duas peças redondas de tons diferentes para dar movimento.

CASA CLAUDIA de abril está nas bancas e apresenta ambientes com um toque vintage, criados em parceria por arquitetos e antiquários. Além disso, um guia de compras dá todas as dicas para você não errar na hora de escolher a peça antiga.

CASA CLAUDIA de abril está nas bancas e apresenta ambientes com um toque vintage, criados em parceria por arquitetos e antiquários. Além disso, um guia de compras dá todas as dicas para você não errar na hora de escolher a peça antiga.

A luz natural banha todos os ambientes por consequência da integração com o terraço, que possui piso de madeira de demolição e poltronas seguindo a mesma paleta de cores neutras do living sofisticado.

A luz natural banha todos os ambientes por consequência da integração com o terraço, que possui piso de madeira de demolição e poltronas seguindo a mesma paleta de cores neutras do living sofisticado.

Carlos Alexandre Dumont já havia morado neste apartamento. Depois de uma temporada longe, decidiu voltar e trouxe seu estilo elegante aos espaços

Carlos Alexandre Dumont já havia morado neste apartamento. Depois de uma temporada longe, decidiu voltar e trouxe seu estilo elegante aos espaços

O branco quase total não serve apenas para iluminar os espaços mas também faz deles uma espécie de galeria, preenchida com móveis, objetos e obras de arte arrematadas ao longo dos anos. “Comprar sempre foi, para mim, uma maneira de conhecer melhor assuntos do meu interesse. Por um tempo, priorizei a arte africana e depois artistas contemporâneos, além do mobiliário dos anos 1950. A lista é extensa”, afirma o arquiteto.

O branco quase total não serve apenas para iluminar os espaços mas também faz deles uma espécie de galeria, preenchida com móveis, objetos e obras de arte arrematadas ao longo dos anos. “Comprar sempre foi, para mim, uma maneira de conhecer melhor assuntos do meu interesse. Por um tempo, priorizei a arte africana e depois artistas contemporâneos, além do mobiliário dos anos 1950. A lista é extensa”, afirma o arquiteto.