Amarante Portugal

Collection by Helder Barros • Last updated 2 days ago

5.17k 
Pins
 • 
838 
Followers

Amarante, Monumentos, História, Política, Acontecimentos, Freguesias

Helder Barros
HELDER BARROS: Linha do Tâmega - A ligação de via estreita entre Livração, Amarante e Arco de Baúlhe começou a ser construída em Março de 1909 e foi fechada em 2009, contudo, a recente electrificação da Linha do Douro até Marco de Canaveses traz uma nova esperança Portugal, Douro, 1, Red Cross, Religious Art, Line, Monuments

Linha do Tâmega - A ligação de via estreita entre Livração, Amarante e Arco de Baúlhe começou a ser construída em Março de 1909 e foi fechada em 2009, contudo, a recente electrificação da Linha do Douro até Marco de Canaveses traz uma nova esperança

«Linha do Tâmega, a vida começa aos 111 anos A ligação de via estreita entre Livração, Amarante e Arco de Baúlhe começou a ser construída em Março de 1909 e foi fechada em 2009. Contudo, a recente electrificação da Linha do Douro até Marco de Canaveses traz uma nova esperança. Se há palavra que resuma os 111 anos da linha de via estreita do Tâmega é incerteza. Incerteza recorrente quanto ao traçado, às ligações à restante rede ferroviária, ao material circulante e à finalidade da linha…

HELDER BARROS: Linha do Tâmega - A ligação de via estreita entre ... Portugal, Douro, 1, Red Cross, Religious Art, Line, Monuments

Linha do Tâmega - A ligação de via estreita entre Livração, Amarante e Arco de Baúlhe começou a ser construída em Março de 1909 e foi fechada em 2009, contudo, a recente electrificação da Linha do Douro até Marco de Canaveses traz uma nova esperança

«Linha do Tâmega, a vida começa aos 111 anos A ligação de via estreita entre Livração, Amarante e Arco de Baúlhe começou a ser construída em Março de 1909 e foi fechada em 2009. Contudo, a recente electrificação da Linha do Douro até Marco de Canaveses traz uma nova esperança. Se há palavra que resuma os 111 anos da linha de via estreita do Tâmega é incerteza. Incerteza recorrente quanto ao traçado, às ligações à restante rede ferroviária, ao material circulante e à finalidade da linha…

HELDER BARROS

HELDER BARROS

HELDER BARROS

HELDER BARROS: Amarante Vila Meã - Vila Meã, railway station, fot...

Amarante Vila Meã - Vila Meã, railway station, fotografia Emídio Biel, 1902.

(Vila Meã, railway station, fotografia Emídio Biel, 1902)

HELDER BARROS

HELDER BARROS

HELDER BARROS

HELDER BARROS: Amarante Igreja de São Gonçalo - Porta lateral da ...

Amarante Igreja de São Gonçalo - Porta lateral da Igreja de São Gonçalo, Amarante, 1902, Emílio Biel.

(Porta lateral da Igreja de São Gonçalo, Amarante, 1902, Emílio Biel)

HELDER BARROS

HELDER BARROS

HELDER BARROS

HELDER BARROS: Amarante F.C. - Morreu um antigo jogador do Amaran...

Amarante F.C. - Morreu um antigo jogador do Amarante F.C., um amarantino dos quatro costados, um Grande Ser Humano! R.I.P. Norberto Miranda!

(Faleceu Norberto Miranda, antigo jogador de uma das melhores equipas do Amarante F.C. que vi jogar nos anos 80, e um ser humano muito grande, antivedeta, tinha sempre um sorriso afável e simpático para todas as pessoas! Chegou a representar o belenenses na 1.ª divisão, juntamente com Paulo Antunes, outro grande ex-jogador alvinegro. Um grande atleta, um bom Homem, um Grande ser humano! Que Deus o guarde em bom lugar!)

A ponte medieval de Amarante revisitada Douro, Medieval, Portugal, Villa, Mansions, House Styles, Monuments, Mid Century, Fancy Houses
DouroMedievalMonuments

A ponte medieval de Amarante revisitada

Essa que vês, amigo, parte em terra,Parte no rio, e parte inda pendente, Foi ponte, que cingiu larga corrente,E agora nas areias se soterra. Excerto do poema à ruína da Ponte de Amarante, por Pe. Paulino Cabral (1719 – 1789) A posição geográfica do local onde viria a surgir a actual cidade de Amarante tornou-se, desde...

HELDER BARROS

HELDER BARROS

HELDER BARROS

HELDER BARROS: Amarante Antiga - Azenhas no Rio Tâmega, Amarante,...

Amarante Antiga - Azenhas no Rio Tâmega, Amarante, 1902, fotografia de Emílio Biel.

(Azenhas no Rio Tâmega, Amarante, 1902, foto de Emílio Biel)

HELDER BARROS: Amarante Agricultura - Homens que fizeram parte de uma agricultura tradicional que já acabou, mas que se destacaram no meio, como neste caso um podador conhecido...

Amarante Agricultura - Homens que fizeram parte de uma agricultura tradicional que já acabou, mas que se destacaram no meio, como neste caso um podador conhecido...

«Matias, o podador Estávamos em pleno Verão quente, na política e na meteorologia. Era setembro de 1975, começavam os primeiros lavradores a esgalhar a poda, os prematuros, aqueles que mal concluída a colheita, atacavam, sempre que podiam, as vides ainda vestidas de folhas pujantes, intercaladas com algumas de tom mais carregado. Principalmente, nos quintais à volta das casas, gostavam daquela limpeza, de impor a sua marca no seu território. Mostrar à vizinhança quem fazia o trabalho andar…

HELDER BARROS: Amarante Agricultura - Homens que fizeram parte de...

Amarante Agricultura - Homens que fizeram parte de uma agricultura tradicional que já acabou, mas que se destacaram no meio, como neste caso um podador conhecido...

«Matias, o podador Estávamos em pleno Verão quente, na política e na meteorologia. Era setembro de 1975, começavam os primeiros lavradores a esgalhar a poda, os prematuros, aqueles que mal concluída a colheita, atacavam, sempre que podiam, as vides ainda vestidas de folhas pujantes, intercaladas com algumas de tom mais carregado. Principalmente, nos quintais à volta das casas, gostavam daquela limpeza, de impor a sua marca no seu território. Mostrar à vizinhança quem fazia o trabalho andar…

HELDER BARROS: Amarante Poesia - O respeito que todos tinham na Casa de Pascoaes, pelo silêncio, pelo ser introspectivo e contemplativo, que era o Grande Poeta de Amarante. Sonia Delaunay, Portugal, Terra, Career Schools, 30 Years Old, Red Cross, Childhood Friends, Italian Painters, Love Letters

Amarante Poesia - O respeito que todos tinham na Casa de Pascoaes, pelo silêncio, pelo ser introspectivo e contemplativo, que era o Grande Poeta de Amarante.

«Foi sempre um contemplativo. Não era triste, era um silencioso. Eu tive, mesmo depois de crescida, um respeito enorme pelo seu silêncio. Nunca o quebrava; esperava sempre que ele me interrogasse. Meu irmão não gostava - mesmo como criança - de ouvir berrar, rir alto, nem sequer o atraía o ruído cantante da filarmónica, que vinha tocar ao terreiro, em dias de festa da freguesia, o que nos sobressaltava a todos. Os ruídos metálicos irritavam-no. Talvez para não despertar o sonho que já vivia…

HELDER BARROS: Amarante Poesia - O respeito que todos tinham na Casa de Pascoaes, pelo silêncio, pelo ser introspectivo e contemplativo, que era o Grande Poeta de Amarante. Portugal, Painting, Career Schools, Senior Secondary School, Red Cross, Childhood Friends, Religious Art, Monuments, Painting Art

Amarante Poesia - O respeito que todos tinham na Casa de Pascoaes, pelo silêncio, pelo ser introspectivo e contemplativo, que era o Grande Poeta de Amarante.

«Foi sempre um contemplativo. Não era triste, era um silencioso. Eu tive, mesmo depois de crescida, um respeito enorme pelo seu silêncio. Nunca o quebrava; esperava sempre que ele me interrogasse. Meu irmão não gostava - mesmo como criança - de ouvir berrar, rir alto, nem sequer o atraía o ruído cantante da filarmónica, que vinha tocar ao terreiro, em dias de festa da freguesia, o que nos sobressaltava a todos. Os ruídos metálicos irritavam-no. Talvez para não despertar o sonho que já vivia…

HELDER BARROS: Amarante Poesia - O respeito que todos tinham na Casa de Pascoaes, pelo silêncio, pelo ser introspectivo e contemplativo, que era o Grande Poeta de Amarante. Portugal, Mona Lisa, Artwork, Career Schools, Senior Secondary School, Red Cross, Childhood Friends, Religious Art, Work Of Art

Amarante Poesia - O respeito que todos tinham na Casa de Pascoaes, pelo silêncio, pelo ser introspectivo e contemplativo, que era o Grande Poeta de Amarante.

«Foi sempre um contemplativo. Não era triste, era um silencioso. Eu tive, mesmo depois de crescida, um respeito enorme pelo seu silêncio. Nunca o quebrava; esperava sempre que ele me interrogasse. Meu irmão não gostava - mesmo como criança - de ouvir berrar, rir alto, nem sequer o atraía o ruído cantante da filarmónica, que vinha tocar ao terreiro, em dias de festa da freguesia, o que nos sobressaltava a todos. Os ruídos metálicos irritavam-no. Talvez para não despertar o sonho que já vivia…