Homens pintados

Explorar tópicos relacionados

Meninas da etnia Pokot, enfeitadas com contas nos cabelos e com os rostos pintados, caminham em direção a um local isolado pouco mais de uma semana antes da cerimônia de iniciação de mais de cem garotas que passam para a condição de mulheres, a cerca de 80 km da cidade de Marigat, em Baringo, no Quênia. Antes da cerimônia, de acordo com a tradição Pokot, as meninas são isoladas por mais de um mês, sem contato com os homens da comunidade

Meninas da etnia Pokot passam por ritual de maioridade e já saem casadas no Quênia

Meninas da etnia Pokot, enfeitadas com contas nos cabelos e com os rostos pintados, caminham em direção a um local isolado pouco mais de uma semana antes da cerimônia de iniciação de mais de cem garotas que passam para a condição de mulheres, a cerca de 80 km da cidade de Marigat, em Baringo, no Quênia. Antes da cerimônia, de acordo com a tradição Pokot, as meninas são isoladas por mais de um mês, sem contato com os homens da comunidade

Meninas da etnia Pokot, enfeitadas com contas nos cabelos e com os rostos pintados, caminham em direção a um local isolado pouco mais de uma semana antes da cerimônia de iniciação de mais de cem garotas que passam para a condição de mulheres, a cerca de 80 km da cidade de Marigat, em Baringo, no Quênia. Antes da cerimônia, de acordo com a tradição Pokot, as meninas são isoladas por mais de um mês, sem contato com os homens da comunidade

Meninas da etnia Pokot passam por ritual de maioridade e já saem casadas no Quênia

Meninas da etnia Pokot, enfeitadas com contas nos cabelos e com os rostos pintados, caminham em direção a um local isolado pouco mais de uma semana antes da cerimônia de iniciação de mais de cem garotas que passam para a condição de mulheres, a cerca de 80 km da cidade de Marigat, em Baringo, no Quênia. Antes da cerimônia, de acordo com a tradição Pokot, as meninas são isoladas por mais de um mês, sem contato com os homens da comunidade

Meninas da etnia Pokot, enfeitadas com contas nos cabelos e com os rostos pintados, caminham em direção a um local isolado pouco mais de uma semana antes da cerimônia de iniciação de mais de cem garotas que passam para a condição de mulheres, a cerca de 80 km da cidade de Marigat, em Baringo, no Quênia. Antes da cerimônia, de acordo com a tradição Pokot, as meninas são isoladas por mais de um mês, sem contato com os homens da comunidade

Meninas da etnia Pokot passam por ritual de maioridade e já saem casadas no Quênia

Meninas da etnia Pokot, enfeitadas com contas nos cabelos e com os rostos pintados, caminham em direção a um local isolado pouco mais de uma semana antes da cerimônia de iniciação de mais de cem garotas que passam para a condição de mulheres, a cerca de 80 km da cidade de Marigat, em Baringo, no Quênia. Antes da cerimônia, de acordo com a tradição Pokot, as meninas são isoladas por mais de um mês, sem contato com os homens da comunidade

Meninas da etnia Pokot, enfeitadas com contas nos cabelos e com os rostos pintados, caminham em direção a um local isolado pouco mais de uma semana antes da cerimônia de iniciação de mais de cem garotas que passam para a condição de mulheres, a cerca de 80 km da cidade de Marigat, em Baringo, no Quênia. Antes da cerimônia, de acordo com a tradição Pokot, as meninas são isoladas por mais de um mês, sem contato com os homens da comunidade

Meninas da etnia Pokot passam por ritual de maioridade e já saem casadas no Quênia

Meninas da etnia Pokot, enfeitadas com contas nos cabelos e com os rostos pintados, caminham em direção a um local isolado pouco mais de uma semana antes da cerimônia de iniciação de mais de cem garotas que passam para a condição de mulheres, a cerca de 80 km da cidade de Marigat, em Baringo, no Quênia. Antes da cerimônia, de acordo com a tradição Pokot, as meninas são isoladas por mais de um mês, sem contato com os homens da comunidade

Meninas da etnia Pokot, enfeitadas com contas nos cabelos e com os rostos pintados, caminham em direção a um local isolado pouco mais de uma semana antes da cerimônia de iniciação de mais de cem garotas que passam para a condição de mulheres, a cerca de 80 km da cidade de Marigat, em Baringo, no Quênia. Antes da cerimônia, de acordo com a tradição Pokot, as meninas são isoladas por mais de um mês, sem contato com os homens da comunidade

Meninas da etnia Pokot passam por ritual de maioridade e já saem casadas no Quênia

Meninas da etnia Pokot, enfeitadas com contas nos cabelos e com os rostos pintados, caminham em direção a um local isolado pouco mais de uma semana antes da cerimônia de iniciação de mais de cem garotas que passam para a condição de mulheres, a cerca de 80 km da cidade de Marigat, em Baringo, no Quênia. Antes da cerimônia, de acordo com a tradição Pokot, as meninas são isoladas por mais de um mês, sem contato com os homens da comunidade

Meninas da etnia Pokot, enfeitadas com contas nos cabelos e com os rostos pintados, caminham em direção a um local isolado pouco mais de uma semana antes da cerimônia de iniciação de mais de cem garotas que passam para a condição de mulheres, a cerca de 80 km da cidade de Marigat, em Baringo, no Quênia. Antes da cerimônia, de acordo com a tradição Pokot, as meninas são isoladas por mais de um mês, sem contato com os homens da comunidade

Meninas da etnia Pokot passam por ritual de maioridade e já saem casadas no Quênia

Meninas da etnia Pokot, enfeitadas com contas nos cabelos e com os rostos pintados, caminham em direção a um local isolado pouco mais de uma semana antes da cerimônia de iniciação de mais de cem garotas que passam para a condição de mulheres, a cerca de 80 km da cidade de Marigat, em Baringo, no Quênia. Antes da cerimônia, de acordo com a tradição Pokot, as meninas são isoladas por mais de um mês, sem contato com os homens da comunidade

Meninas da etnia Pokot, enfeitadas com contas nos cabelos e com os rostos pintados, caminham em direção a um local isolado pouco mais de uma semana antes da cerimônia de iniciação de mais de cem garotas que passam para a condição de mulheres, a cerca de 80 km da cidade de Marigat, em Baringo, no Quênia. Antes da cerimônia, de acordo com a tradição Pokot, as meninas são isoladas por mais de um mês, sem contato com os homens da comunidade

Meninas da etnia Pokot passam por ritual de maioridade e já saem casadas no Quênia

Meninas da etnia Pokot, enfeitadas com contas nos cabelos e com os rostos pintados, caminham em direção a um local isolado pouco mais de uma semana antes da cerimônia de iniciação de mais de cem garotas que passam para a condição de mulheres, a cerca de 80 km da cidade de Marigat, em Baringo, no Quênia. Antes da cerimônia, de acordo com a tradição Pokot, as meninas são isoladas por mais de um mês, sem contato com os homens da comunidade

Meninas da etnia Pokot, enfeitadas com contas nos cabelos e com os rostos pintados, caminham em direção a um local isolado pouco mais de uma semana antes da cerimônia de iniciação de mais de cem garotas que passam para a condição de mulheres, a cerca de 80 km da cidade de Marigat, em Baringo, no Quênia. Antes da cerimônia, de acordo com a tradição Pokot, as meninas são isoladas por mais de um mês, sem contato com os homens da comunidade

Meninas da etnia Pokot passam por ritual de maioridade e já saem casadas no Quênia

Meninas da etnia Pokot, enfeitadas com contas nos cabelos e com os rostos pintados, caminham em direção a um local isolado pouco mais de uma semana antes da cerimônia de iniciação de mais de cem garotas que passam para a condição de mulheres, a cerca de 80 km da cidade de Marigat, em Baringo, no Quênia. Antes da cerimônia, de acordo com a tradição Pokot, as meninas são isoladas por mais de um mês, sem contato com os homens da comunidade

Meninas da etnia Pokot, enfeitadas com contas nos cabelos e com os rostos pintados, caminham em direção a um local isolado pouco mais de uma semana antes da cerimônia de iniciação de mais de cem garotas que passam para a condição de mulheres, a cerca de 80 km da cidade de Marigat, em Baringo, no Quênia. Antes da cerimônia, de acordo com a tradição Pokot, as meninas são isoladas por mais de um mês, sem contato com os homens da comunidade

Meninas da etnia Pokot passam por ritual de maioridade e já saem casadas no Quênia

Meninas da etnia Pokot, enfeitadas com contas nos cabelos e com os rostos pintados, caminham em direção a um local isolado pouco mais de uma semana antes da cerimônia de iniciação de mais de cem garotas que passam para a condição de mulheres, a cerca de 80 km da cidade de Marigat, em Baringo, no Quênia. Antes da cerimônia, de acordo com a tradição Pokot, as meninas são isoladas por mais de um mês, sem contato com os homens da comunidade

Meninas da etnia Pokot, enfeitadas com contas nos cabelos e com os rostos pintados, caminham em direção a um local isolado pouco mais de uma semana antes da cerimônia de iniciação de mais de cem garotas que passam para a condição de mulheres, a cerca de 80 km da cidade de Marigat, em Baringo, no Quênia. Antes da cerimônia, de acordo com a tradição Pokot, as meninas são isoladas por mais de um mês, sem contato com os homens da comunidade

Meninas da etnia Pokot passam por ritual de maioridade e já saem casadas no Quênia

Meninas da etnia Pokot, enfeitadas com contas nos cabelos e com os rostos pintados, caminham em direção a um local isolado pouco mais de uma semana antes da cerimônia de iniciação de mais de cem garotas que passam para a condição de mulheres, a cerca de 80 km da cidade de Marigat, em Baringo, no Quênia. Antes da cerimônia, de acordo com a tradição Pokot, as meninas são isoladas por mais de um mês, sem contato com os homens da comunidade

Pinterest
Pesquisar