COMO UM TAPETE DE DIAMANTES - Parece uma tapeçaria feita com diamante, mas é um aglomerado de estrelas chamado de Trumpler 14, que contém algumas das mais brilhantes da Via Láctea. A região está situada a 8.000 anos-luz de distância da Terra e é uma importante zona de formação estelar. O ponto preto do lado esquerdo da imagem é a silhueta de um nódulo de gás e poeira

Vem, meteoro! As melhores imagens espaciais de 2016

COMO UM TAPETE DE DIAMANTES - Parece uma tapeçaria feita com diamante, mas é um aglomerado de estrelas chamado de Trumpler 14, que contém algumas das mais brilhantes da Via Láctea. A região está situada a 8.000 anos-luz de distância da Terra e é uma importante zona de formação estelar. O ponto preto do lado esquerdo da imagem é a silhueta de um nódulo de gás e poeira

Imagem obtida pela sonda Wise mostra aglomerado de estrelas recém-nascidas cercadas de poeira e gás na constelação da Girafa.  O aglomerado, chamado pelos astrônomos de AFGL 490, só pode ser visto por infravermelho e está localizado a cerca de 2.300 anos-luz de distância da Terra.

Imagem obtida pela sonda Wise mostra aglomerado de estrelas recém-nascidas cercadas de poeira e gás na constelação da Girafa. O aglomerado, chamado pelos astrônomos de AFGL 490, só pode ser visto por infravermelho e está localizado a cerca de 2.300 anos-luz de distância da Terra.

ESTRELAS HEAVY METAL - O aglomerado de estrelas NGC 6496, que possui 10,5 bilhões de anos, é o lar de estrelas "heavy- metal" (metal pesado), enriquecidas com proporções muito mais elevadas de metais. Na astronomia, são chamados de metais os elementos mais pesados que o hidrogênio e o hélio

Vem, meteoro! As melhores imagens espaciais de 2016

ESTRELAS HEAVY METAL - O aglomerado de estrelas NGC 6496, que possui 10,5 bilhões de anos, é o lar de estrelas "heavy- metal" (metal pesado), enriquecidas com proporções muito mais elevadas de metais. Na astronomia, são chamados de metais os elementos mais pesados que o hidrogênio e o hélio

Em 1995, o Hubble registrou imagens dos chamados "Pilares da Criação", na Nebulosa da Águia, ou M16. As três colunas gigantes de gás apareciam em meio a um aglomerado de estrelas. Cientistas revelaram a nova foto dos pilares com mais detalhes sobre a estrutura dos gases e mostrando a base pela primeira vez. Site: UOL notícias.

Hubble completa 25 anos: veja lindas imagens feitas pelo telescópio

Em 1995, o Hubble registrou imagens dos chamados "Pilares da Criação", na Nebulosa da Águia, ou M16. As três colunas gigantes de gás apareciam em meio a um aglomerado de estrelas. Cientistas revelaram a nova foto dos pilares com mais detalhes sobre a estrutura dos gases e mostrando a base pela primeira vez. Site: UOL notícias.

BALÉ ESTELAR - Como bailarinos cósmicos, as estrelas do aglomerado das Plêiades estão girando. Mas esses dançarinos celestes estão todos girando em velocidades diferentes. O telescópio espacial Kepler, da Nasa, durante a sua missão K2, ajudou a acumular o mais completo catálogo de períodos de rotação de estrelas em um aglomerado. Esta informação pode ajudar os astrônomos a ter uma visão sobre onde e como os planetas se formam em torno dessas estrelas, e como tais elas evoluem

Vem, meteoro! As melhores imagens espaciais de 2016

BALÉ ESTELAR - Como bailarinos cósmicos, as estrelas do aglomerado das Plêiades estão girando. Mas esses dançarinos celestes estão todos girando em velocidades diferentes. O telescópio espacial Kepler, da Nasa, durante a sua missão K2, ajudou a acumular o mais completo catálogo de períodos de rotação de estrelas em um aglomerado. Esta informação pode ajudar os astrônomos a ter uma visão sobre onde e como os planetas se formam em torno dessas estrelas, e como tais elas evoluem

Este aglomerado de estrelas sugere que estamos errados sobre como estrelas se formam

Este aglomerado de estrelas sugere que estamos errados sobre como estrelas se formam

Na constelação de Sagitário, vizinho de um aglomerado de estrelas brilhantes (NGC 6520), encontra-se uma nuvem escura, fria e densa de grãos de poeira chamado Barnard 86. O telescópio MPG/ESO descobriu as imagens surpreendentes do que os cientistas chamam de "Lagartixa Cósmica".

Na constelação de Sagitário, vizinho de um aglomerado de estrelas brilhantes (NGC 6520), encontra-se uma nuvem escura, fria e densa de grãos de poeira chamado Barnard 86. O telescópio MPG/ESO descobriu as imagens surpreendentes do que os cientistas chamam de "Lagartixa Cósmica".

CENTRO DA VIA LÁCTEA - Usando os recursos de infravermelho do telescópio Hubble, da Nasa (Agência Espacial Norte Americana), astrônomos observaram o centro da Via Láctea, 27 mil anos-luz de distância da Terra. No centro deste aglomerado de estrelas nuclear - e também no centro desta imagem - está localizado o buraco negro supermassivo da Via Láctea

Vem, meteoro! As melhores imagens espaciais de 2016

CENTRO DA VIA LÁCTEA - Usando os recursos de infravermelho do telescópio Hubble, da Nasa (Agência Espacial Norte Americana), astrônomos observaram o centro da Via Láctea, 27 mil anos-luz de distância da Terra. No centro deste aglomerado de estrelas nuclear - e também no centro desta imagem - está localizado o buraco negro supermassivo da Via Láctea

Hubble detecta aglomerado de estrelas-monstro milhões de vezes mais brilhante que o Sol

Hubble detecta aglomerado de estrelas-monstro milhões de vezes mais brilhante que o Sol

Hubble detecta aglomerado de estrelas-monstro milhões de vezes mais brilhante que o Sol

Hubble detecta aglomerado de estrelas-monstro milhões de vezes mais brilhante que o Sol

Pinterest
Pesquisar